Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família

XII Congresso Nacional da Pastoral Familiar
VIII Seminário de Assessores
Regional Leste 1 – Rio de Janeiro
05, 06 e 07 de setembro de 2008.

“A família é o berço da vida e de toda vocação.”

 SÍNTESE DOS CÍRCULOS DOS ASSESSORES

1ª Pergunta: O que vocês esperam desse XII Congresso?

Elaboração de novos subsídios, de como trabalhar a Pastoral Familiar.
Troca de experiências e congraçamento das pessoas.
Que saíamos estimulados para repassar para outras Paróquias e Dioceses, com informações, conhecimentos e mais espiritualidade.
Que saíamos mais comprometidos para trabalharmos os subsídios.
Esperamos que os senhores Bispos e Padres tomem uma posição mais eficaz.
Buscar uma motivação inovadora para atingir as problemáticas emergentes e apontar caminhos.
Documento de Aparecida nos lembra que não é preciso ter grandes estruturas, mas homens e mulheres de boa vontade.
Elevar a família onde deve ser colocada.
Bispos fazerem apelo para que seja implantada de fato a Pastoral Familiar em todas as Paróquias.
Uma troca de experiência rica. Conhecer o que está acontecendo em  nível nacional.
Seriedade com a  Pastoral Familiar e ser multiplicadores na sua Diocese.
Nós temos realidades diferentes. Temos que partir destas realidades para chegar a um consenso.
Fortalecer nossa disponibilidade como leigos e  com maior integração com o clero.
Que a Pastoral familiar seja assumida também pelos sacerdotes.
Melhor compreensão do que é a Pastoral familiar para termos ações e propostas mais concretas.
Integração e unidade da Igreja no Brasil em torno do Sacramento do Matrimônio.
Mais unidade e  maior integração leigos/clero.
Motivação para sermos missionários.
Ajudar cada um, em seu ministério específico, a anunciar de forma simples e concreta a sacralidade da Vida e do Matrimônio.
Definir o rosto da Pastoral Familiar formada para agentes com motivação para anunciar com audácia missionária a vida e família.
Mais positividade na ação da Pastoral Familiar, e não ficar na  “defesa”  (defensiva).
Alegria, entusiasmo, atualização, colher novas experiências, idéias, inspirações (o que está acontecendo de melhor na Pastoral Familiar).
Novo Pentecostes para iluminar a situação das famílias e poder ajudá-las.
Colher idéias, inspirações para os Congressos Regionais e para as dioceses.
Que este congresso nos ofereça bagagem para o nosso trabalho pastoral com as famílias.
Que seja acentuado o aspecto vocacional para o matrimônio.
Que se acentue aqui que o pré- matrimonial é prioridade e é  “futuro”.
Desenvolver a teologia da misericórdia aqui e nos Encontros em especial para com as famílias que estão em situação de risco, e com casais em segunda união.
Incentivar as dioceses para que,  a partir do Diretório,  criem escolas para a Preparação para a vida matrimonial.
Que os agentes recebam um novo vigor e sejam multiplicadores.
Que este Congresso incentive a formação da Pastoral Familiar a chegar aos Seminários.
Que o Congresso anime e incentive, de uma vez por todas,  a estudarmos o Diretório da Pastoral Familiar e seus documentos.
Novas diretrizes de como trabalhar a Pastoral Familiar.
Cumprimento das idéias e participação das ações tomadas.
Caminhos para tornar a Pastoral Familiar intensa e vigorosa.
Que o clero tenha consciência mais objetiva da preparação de jovens para o matrimônio.
O leigo deve assumir melhor seu papel de evangelizador.
Tentar evitar a cultura da morte, tendo  a firmeza da luta pela vida.
Que se trace caminhos reais para defender a Vida.
2ª Pergunta: Como levar esse Congresso à frente, às bases?

Com consciência, responsabilidade, compromisso, levando a todos a boa nova do Sacramento do Matrimônio e da família.
Reunindo a todos da Pastoral Familiar  para transmitir o que foi discutido aqui.
Colocar em prática, pois é preciso fazer chegar o mais rápido possível a cada paróquia o que aconteceu no Congresso. Falamos  muito mais mostramos pouco.
Valorizar o que há de santo na Igreja e  despertar visão positiva.
Levar na íntegra, esperança, urgência, decisão e pedagogia (prática)
Compromisso dos agentes com o Diretório da Pastoral Familiar e  demais documentos em integração com os movimentos familiares.
Divulgar em assembléias, nos conselhos paroquiais e comissões da Pastoral Familiar as  conclusões deste Congresso.
Padres e Leigos precisam acreditar no que fazem,  levando ao compromisso.
Desafio e articulação com as paróquias pelas dificuldades de comunicação na Igreja, com colaboração dos sacerdotes e coordenadores paroquiais.
Abraçar a causa, sendo motivadores, exercendo a missão de líderes  multiplicadores.
Receber este Congresso como Dom de Deus para mim, e transbordando junto à comunidade que somos o fermento da massa.
Informativo Diocesano, continuidade do trabalho já desenvolvido citando a mensagem do 12º Congresso da Pastoral Familiar.
Temos realidades diferentes. A partir destas realidades chegar a um consenso.
Fazer Congresso Regional e Diocesano para levar o tema do Nacional às bases.
Colocar em prática a Carta do Congresso Nacional da Pastoral Familiar.
Mesmo tema do Nacional com dois momentos: Motivar as pessoas e aprofundar através de oficinas.
Informar as outras pastorais para que todos incentivem e vivam o tema do Congresso.
Pastoral Orgânica , Pastoral Familiar e o ano Catequético 2009.

3ª Pergunta: Como poderíamos implantar uma preparação pré-matrimonial para que seja realmente eficaz?

Iniciar pela fase remota atingindo todos os  seguimentos, utilizando o Diretório da Pastoral Familiar e o Guia de Preparação para a Vida Matrimonial.
Trabalhar os jovens, mostrar os métodos naturais.
Preparando subsídios para o estudo, formação e estimulando as pessoas para a caminhada e descobrir novos agentes.
Saber escolher os agentes e que haja planejamento das ações para uma melhor execução da Pastoral Familiar.
Articular-se com as demais pastorais da paróquia, fazendo estudos dos documentos e Diretórios:  Familiar, Batismo, Catequese.
Trabalho em conjunto com Paróquias próximas.
Provocar o gosto, o sabor das pessoas para as ações do Guia Matrimonial, demonstrar que a continuidade desses casais é a constatação real da família.
Real compromisso com a evangelização.
Articulação com as escolas.
Catequese de adultos objetivando atingir os jovens através dos pais.
Teoria + Prática.
Que, como Igreja, todos nós possamos olhar com carinho e empenho como está sendo trabalhado e que linguagem estamos usando para cada fase, sem perder o essencial e o horizonte  e que a doutrina da Igreja é melhor  (Qual é o Plano de Deus?).
A grande falta nos Cursos de noivos (Preparação para a Vida Matrimonial) é a formação dos agentes.
A formação começa na catequese e deve ser permanente. Iniciando com a catequese no ventre materno.
Intensificar a preparação remota para o casamento.
Cristoteca, evangelização através das músicas.
Acompanhamento de gestante jovem.
Unidade entre Pastoral Familiar e Pastoral Vocacional
Encontros e retiros para os  Namorados Firmes.
Encontros com adolescentes do  pós-crisma.
Encontro familiar: pais e filhos juntos.
Acompanhamento no sacramento do matrimônio (no dia do casamento) e para os recém casados.
Guia para acompanhamento da gestação e demais Guias da Comissão Vida e Família.
Pastoral  orgânica: Catequese; Jovens.
Facilitando horários.
Preparação e acompanhamento ao matrimônio, prolongado e personalizado.
Deve ser um período de evangelização
Preparação pré-matrimonial com início na catequese juntamente com os pais.  Deve ser uma formação permanente e concreta.
Preparação para que tipo de casal – Casal que tem formação cristã e outros que não têm um querigma.
Preparar bons agentes pastorais que tenha vivência, testemunho, convicção,  conhecimento.
Igreja em geral peca muito  brincando com coisas sagradas.
Como levar o entusiasmo que tem aqui no Congresso para as paróquias?
Plano Pastoral baseado na Pastoral Familiar cuja prioridade é defender a vida e a família.
Tempo de preparação para a vida matrimonial vai depender da preparação remota.
Grande falha é o isolamento dos trabalhos e o não conhecimento de trabalho e subsídios.
Renovação da equipe que faz a preparação de noivos. Novos palestrantes e novos métodos.
Reencontro anual para os noivos.
Encontro de noivos: temáticas, horário,  qualidade das palestras devem ser unificados.

4ª Pergunta: – Partilhar/ colocar em comum experiências de preparação Pré-matrimonial.

Retiro Espiritual em preparação ao Matrimônio.
Catecumenato.
Encontros mensais dos grupos de namorados, que  continuem após o casamento deles.
Acompanhamento personalizados das catequistas com os casais que  buscam o sacramento do matrimônio antes de fazer encontro de noivos.
Adolescentes após Crisma, nova etapa  de catequese, enfocando o sacramento do matrimônio (vocação familiar).
Pastoral Familiar junto com a catequese e movimentos em encontros de pais e filhos como requisito para receber sacramento da crisma.
Pastoral Familiar junto com os catequistas  para acompanhamento dos pais dos catequizandos.
O que propomos para o pré- matrimonial.

Intensificar a preparação remota trazendo para os diversos grupos
Avaliar: tempo/duração,preparação da equipe e rever os enfoques nas palestras da Preparação para a vida matrimonial.
O Nacional oferecer e dar sugestões para mais filmes e materiais atualizados para o setor Pré-matrimonial. Atualização de todo material.
A partir da Conferência de Aparecida, trazer as atualizações pastorais, teológicas etc.  para toda a missão evangelizadora,  em especial,  no setor pré-matrimonial. Criar uma mentalidade evangelizadora com ações continuadas preparando para a vida.
A Igreja focalizar mais o tema da família e tornar as famílias evangelizadoras.
Fazer das famílias verdadeiras Igrejas domésticas. Em muitos casos já não é mais resgatar o modelo de família de muitos pais que já tiveram seus lares desfeitos, mas testemunhar e ajudar construir novas famílias com os valores humanos e cristãos.
Dar testemunhos de pessoas realizadas e felizes.
Diante da decepção de muitos Padres na celebração dos casamentos,  recobrar o sentido da celebração religiosa (sacramento do matrimônio). Resgatar esta cerimônia, ter coragem de cortar os ritos periféricos, dar sentido religioso e ser contra a indústria das cerimônias .
Propor uma preparação específica do sentido do matrimônio antes de marcar o casamento  para ter o tempo necessário para trabalhar as questões pendentes.
Modernizar nossos meios de comunicação.
Envolver os pais em todas as fases da preparação matrimonial e resgatar o diálogo entre os pais e filhos.
Evangelizar os pais que estão com seus conhecimentos da doutrina cristã muito limitados.

Autor: PastoralFamiliar

Compartilhar esta matéria no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.